Debate entre Doria e Amazon termina em doações

A primeira campanha da Amazon para o Kindle no Brasil dividiu opiniões ao fazer referência indireta à gestão do prefeito de São Paulo, João Doria. A campanha “Movidos por Histórias” começa com o questionamento “cobriram a cidade de cinza?”, e então mostra projeções nos muros de São Paulo. A iniciativa visava “cobrir a cidade com histórias”, com trechos de livros como 1984, de George Orwell, Harry Potter, O Pequeno Príncipe e Cinquenta Tons de Cinza.

O prefeito rebateu a referência e aproveitou para pedir à Amazon que doasse livros e produtos para a prefeitura, dizendo que “a marca estaria utilizando São Paulo para vender seus produtos”. “Já que eles têm tanto amor pela nossa cidade, poderiam fazer de fato uma ação transformadora e ajudar nossas crianças doando livros para as bibliotecas, computadores e tablets para nossas escolas municipais”, disse  Doria em um vídeo no Facebook.

A Amazon, por fim, decidiu não fugir da polêmica e, nesta quarta-feira, 29, lançou um novo vídeo nas redes sociais, anunciando que vai doar centenas de tablets para instituições de cultura e educação. “Kindle ama tanto São Paulo quanto ama leitura. Estamos abertos a todas as ideias que ajudem a democratizar o acesso à leitura no Brasil”, disse no Facebook. A marca também está oferecendo aos consumidores um livro digital grátis àqueles que se cadastrarem em seu site.
Antes de a Amazon ter assumido o compromisso, o varejista de eletrônicos Kabum! já havia entrado na conversa  anunciando a doação de livros e tablets para a prefeitura. “Bom dia Prefeito. O Kabum gostaria de realizar a doação de computadores e tablets à prefeitura de SP”, disse a marca no Twitter. Ainda nesta terça-feira, 28, Doria fechou uma parceria com a Microsoft para a capacitação de alunos e doação de produtos como o pacote Office e programas educativos.

Fonte: Meio&Mensagem

Comentários

Postagens mais visitadas